O que é CUB?
O que é CUB?

20 de Abril de 2017
Custo Unitário Básico da Construção Civil
 
 
Principal indicador do setor da construção, o Custo Unitário Básico (CUB) é calculado mensalmente pelos Sindicatos da Indústria da Construção Civil de todo o país. Determina o custo global da obra para fins de cumprimento do estabelecido na lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio, assegurando aos compradores em potencial um parâmetro comparativo à realidade dos custos. Atualmente, a variação percentual mensal do CUB tem servido como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até mesmo como índice setorial. 
 
Como é calculado o CUB (NBR-12.721/2006) 
 
Histórico: A Lei 4.591, de 16 de dezembro de 1964 (artigo 54), prevê que os Sindicatos da Indústria da Construção Civil ficam obrigados a divulgar mensalmente até o dia 5 de cada mês, os custos unitários de construção a serem adotados nas respectivas regiões jurisdicionais, calculados com base nos diversos projetos-padrão representativos residenciais (R1, PP4, R8, PIS, R16), comerciais (CAL8, CSL8 e CSL16), galpão industrial (GI) e residência popular (RP1Q) levando-se em consideração os lotes de insumos (materiais e mão-de-obra), despesas administrativas e equipamento e com os seus respectivos pesos constantes nos quadros da NBR-12.721:2006 da ABNT. 
 
Finalidade: Determinar o custo global da obra para fins de cumprimento do estabelecido na lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio, ressaltando que o Custo Unitário Básico (CUB) é um custo meramente orientativo para o setor da Construção Civil, não sendo nunca o custo real da obra, pois este só é obtido através de um orçamento completo com todas as especificações de cada projeto em estudo ou análise. No entanto, hoje em dia a variação percentual mensal do CUB tem servido como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até mesmo como índice setorial. 
 
Metodologia de cálculo do CUB/m²? Coleta de dados. Os salários e preços de materiais e mão-de-obra, despesas administrativas e equipamentos previstos na NBR-12.721:2006, são obtidos através do levantamento de informações junto a uma amostra de cerca de 40 empresas da construção. Agindo desta maneira, o universo da pesquisa se dá sob a ótica do comprador, eliminando uma série de distorções em relação ao fornecimento de dados. como o indicador a ser calculado refere-se a custo e não a preço, é mais correta a pesquisa junto ao comprador, que no caso são as construtoras e não junto aos distribuidores ou vendedores. 
 
Tratamento estatístico: O tratamento estatístico é para pequenas amostras, por este motivo é utilizada a tabela de Student. 
 
O cálculo propriamente dito: O cálculo do custo unitário de construção por metro quadrado é a somatória das combinações preços x pesos dos insumos, para cada especificação. Referidas especificações são classificadas, por padrão de acabamento e número de pavimentos: 
 
R: Residencial 
Pavimentos: 1, 4, 8 e 16 
Padrão de acabamento: baixo, normal e alto. 
 
C :Comercial 
Pavimentos: 8 e 16 
Padrão de acabamento: normal e alto. 
 
GI: Galpão Industrial 
RP1Q: Residência Popular 1 Quarto 
 
Assim, os tipos de CUB Residencial previstos na norma atingem 11 especificações.  
O lote básico de cada projeto é composto de 29 insumos (25 para materiais, 2 para mão-de-obra), despesas administrativas (engenheiro) e equipamentos (betoneira). 
 
Divulgação: Atendendo o disposto no art. 54 da Lei 4.591/64, os Sindicatos da Indústria da Construção Civil ficam obrigados a divulgar o CUB até o dia 5 do mês subsequente, adotando, como referência do indicador, o mês da publicação e coleta de preços e salários. Portanto, o CUB a ser utilizado é o do mês anterior à data de sua divulgação. Exemplo: O CUB referente ao mês de fevereiro de 2007, divulgado no início do mês de março de 2007, corrige os contratos com data de vencimento em março de 2007.

Acesse o CUB do Rio Grande do Sul, através da página do SINDUSCONRS, clicando aqui.

Fonte: SINDUSCONPR. Acesso em 20/04/2017.